terça-feira, 8 de junho de 2010

Paixões, colírios e amores


Se sentir usada. Se sentir a maior idiota do mundo. Ou sentir desprezo, raiva, ódio de alguém. Estou tentando descobrir qual dessas emoções ou sentimentos é pior.. Algumas pessoas fazem com que nos apeguemos fácil demais a elas, e depois elas acabam te destruindo. Vim fazer um post pra desabafar sobre o que aconteceu comigo hoje. Por que eu sou tão idiota ? Tão troxa a ponto de acreditar em alguns muitos ''eu te amo'' de uma pessoa que se quer me conhece direito ? Por que a maioria dos meninos brincam tanto com os sentimentos das meninas ? Ainda mais as bobas, como eu. ''Decepção não mata, ensina a viver''? É eu espero mesmo... Nunca me senti tão idiota, ridícula, troxa como estou me sentindo hoje, agora. Sempre disse que não vale a pena chorar por homem, mas dessa vez eu não aguentei, chorei tentando tirar junto com as lágrimas o arrependimento de cada EU TE AMO falado, de cada elogio feito a ele. Esquece-lo não vai ser fácil, mas vou tentar dar o meu melhor.. É praticamente impossível tirar alguém do coração, se a pessoa se quer sai da sua memória. De que me adiantaria excluí-lo de todas as redes sociais ? Sofrer por decepção, é uma das piores dores, eu acho. Arrependimento também é terrível... Se eu pudesse voltar no tempo, há uns 20 dias atrás, não teria respondido aquele convite que deu início a toda essa farça da parte dele... Queria não acreditar em tudo isso.
Beijos, JK.

sábado, 5 de junho de 2010

Ah, sei lá.


Sabe quando você sente um misto de tristeza, angústia, mas ao mesmo tempo felicidade, alegria ? É assim que eu me sinto ultimamente. Todos esses sentimentos estão em partes diferentes do meu corpo. A angústia está em forma de amor, e está no meu coração, eu sinto que eu perdi algo, ou alguém, que vai fazer muita falta pra mim e me arrependo de ter deixado esse alguém ir. A felicidade está sempre ao meu lado, apesar de tudo, é ela que me dá disposição pra acordar todos os dias e até nos piores momentos enxergar a vida como o ''jogo do contente'' da Pollyana, sabe ? Pois bem, o jogo do contente é a razão da minha felicidade. Pensar que a criança que está pedindo moedas no semáforo pode ter motivos pra estar pior que eu mas estampa um sorriso quando lhe dão algo, muitas vezes me deixa alegre, ou feliz, tanto faz. Sentimentos, ruim com eles, pior sem eles...

Beijos, JK.